5 erros no cuidado com o pet durante o verão

O verão já está batendo na porta e, com a chegada do calor, o cuidado com o seu amiguinho de quatro patas precisa ser redobrado. Os pets, como nós humanos, também sofrem com o aumento da temperatura, mas esse é só um dos fatores com os quais devemos nos preocupar.

Mas então, o que pode prejudicar o pet no verão?

Insetos e pernilongos

Mais presentes na região tropical (praias, por exemplo), os pets ficam mais expostos à picada de pernilongos, alguns deles transmissores de enfermidades. 

Geram doenças como a  leishmaniose e a dirofilariose, também conhecida como verme do coração, pois o verme proveniente da picada se instala no coração do pet, causando problemas de saúde. 

Parasitas

Pulgas e carrapatos encontram nas altas temperaturas as condições perfeitas para se reproduzirem. Por isso, caso ocorra algum descuido e seu pet encontre um local que tenha um foco de contaminação, as consequências podem não ser tão agradáveis.

Insolação e hiperpirexia

Sabemos que o calor afeta não só os humanos, mas também os pets.  Todos estão sujeitos a sofrer com as altas temperaturas, mas o que mais sofrem são os doguinhos de focinho curto, como buldogues, lhasa apsos e pugs. 

A hiperpirexia ocorre pelo fato do fluxo respiratório aumentar, ocasionando faltas de ar e o ressecamento e arroxeamento das mucosas nasais, elevando de maneira significativa a temperatura corporal do animal.

5 erros cometidos no cuidado com os pets 

Sair a qualquer hora

No verão existem horários que não são aconselhados para que você saia para passear com o seu animalzinho. Pois, além da temperatura alta, o asfalto ou calçada pode estar quente, podendo machucar as patinhas do seu pet.

Os momentos mais indicados são nas primeiras horas da manhã ou no finzinho da tarde.

Tosar em excesso

Com a intenção de livrar os bichinhos do calor, pensamos que tosar o pelo bem curtinho pode ajudar, mas em certas situações isso pode ser prejudicial para o seu pet.

O que muitos não sabem é que a pelagem serve como regulador de temperatura, servindo para deixar o seu pet aquecido em temperaturas mais baixas, e frescos no verão. E também, para evitar queimaduras na pele do animal. 

Por isso, analise bem a situação do seu amiguinho de estimação antes de realizar a tosa. Para certas raças, veterinários ainda indicam deixar o pelo com o comprimento de ao menos 5 centímetros para uma melhor proteção ao pet.

Não dar importância a doenças causadas por vermes, pulgas e carrapatos

O mais indicado é ir em pet shops e comprar produtos ou remédios que contenham substâncias que ajudam no combate a verminoses e doenças parasitárias. 

Outro ponto é a atenção por onde o seu pet está passeando e brincando. Evitar locais propícios à contaminação é essencial para o bem estar do seu animalzinho.

Dessa maneira o seu pet estará protegido por todo o verão!

Não lembrar da proteção solar

Usar protetor solar nos pets também é muito importante, principalmente em animais de pelagem branca ou bem clara. O uso do produto, além de evitar queimaduras causadas pelo sol, também protege contra câncer de pele e outras doenças causadas pela exposição ao sol.

A aplicação deve ser feita em especial nas áreas que geralmente ficam mais expostas ao sol, como barriga, pontas das orelhinhas e focinho.

Nao manter o pet hidratado

Sobretudo, nessa estação de temperaturas essencialmente altas, manter o animal hidratado é super importante para que seu pet siga saudável. 

Respeitar o limite do pet é um dos fatores mais essenciais. Passear em zonas com sombra, e em sua velocidade, lembrando sempre de levar água, e esperar seu tempo de descanso.

Se gostou dessas informações sobre cuidados com o pet, compartilhe com seus amigos e fique a vontade para visitar outras de nossas publicações.